Política de Cookies

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, registo e recolha de dados estatísticos.
Ao prosseguir a navegação com cookies ativos está a consentir a sua utilização.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela Norgarante.Saiba mais

Compreendi
Sucessão Empresarial e Incremento de Escala
Mutualista - Venda as suas ações Norgarante
ADN Obrigações Fiscais garantia mútua
Capitalizar Turismo
financiamento empresas Capitalizar
Regressar
Asset 1

Notícias

Exportações da região Norte crescem

2020-02-06
Exportações Região Norte Norte Conjuntura SPGM

No 3º trimestre de 2019, as exportações de bens da Região do Norte aumentaram 3,2%, em termos homólogos, invertendo a tendência de queda observada no 2º trimestre de 2019 (-1,7%), revela o boletim trimestral da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) "Norte conjuntura”.

Esta recuperação resultou, sobretudo, do crescimento em 3,0% das exportações para o mercado intracomunitário, após a variação de -2,4% apurada no trimestre anterior.

Ao nível nacional, o crescimento das exportações foi mais moderado (0,8%) em ligeira desaceleração face ao valor registado no trimestre anterior (1,1%).

De salientar também, que o valor das exportações da Região do Norte continua a ser significativamente superior ao das importações. No 3º trimestre de 2019, a taxa de cobertura das importações pelas exportações atingiu o valor de 130,4%, mais 2,9 p.p. face ao trimestre anterior.

O crescimento das exportações foi impulsionado, sobretudo, pela venda de "automóveis, outros veículos terrestres, suas partes e acessórios” que registaram um crescimento de 6,9% em aceleração face ao trimestre anterior (0,2%) e pela venda de "máquinas, aparelhos e materiais elétricos, som e imagem” que observaram o maior crescimento (19,0%), superando claramente o valor do trimestre precedente (2,9%).

Estas duas categorias de bens deram os maiores contributos para o crescimento global das exportações da Região do Norte. Em sentido oposto, as exportações de "vestuário e seus acessórios, de malha”(-1,4%) e as exportações de "calçado, polainas, e suas partes”(-2,8%) observaram novamente evoluções negativas, prolongando a tendência de queda dos últimos trimestres.

O boletim trimestral da CCDR-N indica ainda, que a Área Metropolitana do Porto é a "mais exportadora”, com 50,3% das exportações da região Norte, destacando que as "variações mais significativas” foram na sub-região do Cávado, que  viu as  exportações aumentarem em 10,6%, impulsionadas pelo aumento de 27,1% observado nas "máquinas e aparelhos”, no 3º trimestre de 2019.

Neste período, as exportações da sub-região do Cávado corresponderam a 11,8% do total da Região do Norte. Apenas a NUTS III do Ave registou uma redução (-1,5%) em resultado, sobretudo, da evolução negativa observada nas exportações dos "materiais têxteis e suas obras” (-4,3%) e do "calçado, chapéus e semelhantes” (-4,1%). No seu conjunto, estas duas classes contribuíram com -2,3 p.p. para a queda global das exportações desta NUTS III. Apesar da evolução negativa, as exportações da sub-região do Ave continuam a ser elevadas, representando 17,8% do total da Região do Norte.

Relatório Trimestral Norte Conjuntura - 3TRM2019

Imagem retirada do Boletim "Norte Conjuntura"


Principais indicadores do mercado de trabalho

O Norte Conjuntura, que apresenta as tendências da evolução económica na região, destaca ainda que "os principais indicadores do mercado de trabalho da Região do Norte continuaram a evidenciar sinais de abrandamento.” Com a taxa de desemprego a atingir o valor de 6,6% no 3º trimestre de 2019, o que significou um aumento de 0,4 pontos percentuais (p.p.) face ao trimestre anterior.

Ainda assim, quando comparado com o valor observado no trimestre homólogo de 2018, o emprego da Região do Norte aumentou 0,6% no 3º trimestre de 2019, o que se traduziu na criação líquida de mais 9.400 postos de trabalho. A população empregada da Região do Norte, no 3º trimestre de 2019, alcançou assim, o valor de 1.716 mil indivíduos.

No que respeita aos Salários, o salário médio mensal líquido dos trabalhadores por conta de outrem da Região do Norte atingiu o valor de 854 euros no 3º trimestre de 2019, registando um crescimento nominal de 3,3% face ao trimestre homólogo de 2018. Com esta evolução, o salário médio da região passou a assumir um diferencial de cerca de 6,1 p.p. relativamente ao auferido em Portugal (de valor equivalente a 909 euros), agravando assim a distância face ao trimestre anterior (5,0%).

 

Crédito concedido à economia da Região Norte

O montante global do crédito concedido à economia da Região Norte registou um crescimento homólogo de 0,8%, no 3º trimestre de 2019, interrompendo uma sucessão de 32 trimestres sem qualquer aumento neste indicador.

Contrariamente ao que foi observado nas famílias, o stock de crédito às sociedades não financeiras da Região do Norte diminuiu 3,8% no 3º trimestre de 2019, prolongando a tendência de queda que tem vindo a ser observada, sucessivamente, desde o 4º trimestre de 2010.

"Ao mesmo tempo, os novos empréstimos às sociedades não financeiras registaram um crescimento muito significativo de 33,9% na Região do Norte. Este crescimento resultou sobretudo de um aumento incomum de 121,3%, em termos homólogos, observado nos empréstimos superiores a 1 milhão de euros. Nos empréstimos inferiores a 1 milhão de euros o crescimento homólogo foi de 7,3%."

Já no que respeita aos indicadores de incumprimento bancário, continuaram em queda muito ligeira na Região do Norte no 3º trimestre de 2019. Considerando o crédito às empresas o rácio de crédito vencido baixou para 4,7%, menos cinco décimas de p.p. face ao 2º trimestre de 2019.

Ver todas as noticias