Política de Cookies

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, registo e recolha de dados estatísticos.
Ao prosseguir a navegação com cookies ativos está a consentir a sua utilização.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela Norgarante.Saiba mais

Compreendi
Ajudamos a sua empresa a transformar projetos em negócios concretos
Mutualista - Venda as suas ações Norgarante
Capitalizar Turismo
financiamento empresas Capitalizar
Indústria 4.0 Capitalizar 2018
Regressar Venezuela
Asset 1

Notícias

Norte concentra 34% das empresas e do emprego em Portugal

2019-08-28
A região Norte foi a primeira a ser analisada na nova série de publicações do Banco de Portugal que avalia a situação económica e financeira das empresas de todo o território nacional. No Estudo da Central de Balanços n.º 38 - Análise das empresas da região Norte, o banco central revela que, em 2017, a região Norte concentrava 34% das empresas a operar em Portugal, cerca de 144 mil sociedades, e 34% das pessoas ao serviço das empresas em todo o país, cerca de 989 mil trabalhadores. Naquele ano, as empresas da região Norte geraram 101 mil milhões de euros de volume de negócios (29% do volume de negócios do total nacional).

O estudo analisa as empresas com sede na região decompostas pelas sub-regiões que a compõem: Alto Minho, Cávado, Ave, Área Metropolitana do Porto, Alto Tâmega, Tâmega e Sousa, Douro e Terras de Trás-os-Montes. Nestas regiões, o setor que mais se destaca é o da indústria, tendo a sua sede no Norte 51% das empresas da indústria em Portugal. O estudo conclui, igualmente, que as indústrias do Norte foram responsáveis por 39% do volume de negócios da indústria como um todo, naquele ano.

A análise do BdP adianta, ainda, que 19% das empresas da região Norte realizaram exportações, embora apenas 8% integrassem o setor exportador, conjunto que era mais expressivo nas sub-regiões do Alto Minho, do Ave e do Cávado.

Relativamente aos indicadores económico-financeiros analisados, o documento refere que a rendibilidade dos capitais próprios da região Norte foi marginalmente superior à registada no total do território (9%), e que a autonomia financeira era mais elevada na região Norte (38%) quando comparada com o total nacional (33%). A região apresentava, ainda, um rácio de crédito vencido inferior ao registado pelo total das empresas em Portugal.
Ver todas as noticias