Política de Cookies

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, registo e recolha de dados estatísticos.
Ao prosseguir a navegação com cookies ativos está a consentir a sua utilização.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela Norgarante.Saiba mais

Compreendi
Linha FIS Credito
Apoio ao Desenvolvimento de Negócio
Regressar
Moratória de Crédito - Apoio às Empresas
Linha de Apoio à Economia Covid-19
Asset 1

Notícias

'Ranking' internacional aponta para Portugal mais competitivo

2020-07-24
IMD World Competitiveness Center
Portugal subiu dois lugares no ‘ranking’ global de competitividade do instituto de gestão suíço IMD, passando para a 37.ª posição entre os 63 países e territórios analisados. Singapura, tal como acontece em idêntica tabela elaborada anualmente pelo Fórum Económico Mundial, surge como o país mais competitivo do mundo.

A mão-de-obra qualificada, o custo de oportunidade e a estabilidade das infraestruturas, designadamente nas áreas de educação, saúde e ambiente, são os três principais fatores que contribuíram para tornar mais atrativa a economia portuguesa à escala global. 

No escalonamento deste ‘ranking’ são tidos em consideração o desempenho económico dos países e a eficiência das infraestruturas, das empresas e dos governos, nota a Porto Business School, parceira do IMD na elaboração deste trabalho.

A melhoria na posição de Portugal fica a dever-se também à ausência de inflação de preços no consumidor, ao crescimento das exportações de bens e ao incremento das receitas da indústria do turismo. 

A atratividade económica do país é determinada também pelos preços praticados no consumo, em que o IMD nos considera o 30.º país mais competitivo do mundo, e pela atividade portuguesa no comércio externo (31.º lugar).

Já entre os "pontos fracos” que afetam a competitividade nacional constam o quadro fiscal e as práticas de gestão adotadas na maioria das nossas empresas.

Olhando para os primeiros lugares do ‘ranking’, Singapura continua, sem surpresa, na frente, com Dinamarca e Suíça logo atrás. No ano passado, o segundo e o terceiro lugares cabiam, respetivamente, a Hong Kong e aos Estados Unidos, que registam agora uma "descida significativa”, mantendo-se, ainda assim, no ‘top ten’ dos países mais competitivos do mundo.

As pequenas economias, principalmente as no Norte da Europa, estão cada vez mais competitivas, com a Suécia, nomeadamente, a capitalizar os investimentos que tem feito na criação de talento e na digitalização da sociedade. 

Em sentido contrário, há a registar as descidas de duas grandes potências: os EUA caíram do terceiro para o 10.º lugar, enquanto a China passou da 14.ª para a 20.ª posição.


O ‘top ten’ do ‘ranking’ do IMD World Competitiveness Center está agora assim alinhado:
1.Singapura;
2.Dinamarca;
3.Suíça;
4.Países Baixos;
5.Hong Kong;
6.Suécia;
7.Noruega;
8.Canadá;
9.Emirados Árabes Unidos;
10.Estados Unidos da América.

Ver todas as noticias